segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Xifópagos Espíritos em reconciliação


Ao falarmos desta envolvência de Espíritos gémeos siameses, que muitos acham acima dos parâmetros da normalidade e compreensão humana, convém perceber o que são e que tipos de identificações terão na sua individualidade física.

A revelação siamesa surgiu no século XIX, no ano de 1811, com o primeiro caso no mundo. O dos irmãos Chang e

Eng Bunker, (origem do Sianesa, agora Tailândia – surge daí o nome siameses).

Darvin Straus escreveu um romance baseado no caso tendo despertado nos leitores pena e estupefação.

Eles então, nessa altura, tornam-se famosos e, daí se aplicou a expressão "irmãos siameses" para se referir aos que nasciam ligados fisicamente por alguma parte do corpo.

Estes gémeos foram levados para a Inglaterra, e depois para a América. Casaram com duas irmãs e tiveram 21 filhos no estado da Carolina do Norte, onde eram fazendeiros. Morreram no mesmo dia, com poucas horas de diferença, aos 63 anos, estabelecendo um recorde entre os gémeos siameses.

Existem várias tipologias de uniões de fetos nascituros;

- Uns são Craniópag

os com ligação pelo crânio;

- os Toracópagos presos pelo tórax;

- os Isquiópagos amarrados pelos quadris;

- Xifopagos presos pelo apêndice xifoide…

Estas ligações se podem fazer por vários órgãos ou partes segmentares do corpo.
A percentagem desta incidência nas gestações , varia entre 500.000 e 200 000. E a maior taxa é a dos Toracópagos, cerca de 40%.
Gêmeos Siameses ocorrem um a cada 100.000 nascimentos;

Aproximadamente 40% a 60% dos casos de siameses nascem mortos;

A taxa de sobrevivê

ncia de gémeos unidos é algo em torno de 5% e 25%;

Na índia, durante o século XVI, os gémeos siameses eram queimados e na Europa eram sacrificados ao nascer, pois eram vistos como aberrações.

E no conceito medico, são classificados entre eles , em dois grupos,os “Parasitarios”, no qual um dos Seres é atrofiado e “anopluro”, no outro (“autosita”), que geralmente é bem desenvolvido e desenvolvido de forma regular.

O gémeo “parasita” mostra-se obsoleto, isto é, não tem o processo embrionário completo... Há casos em que só existe uma cabeça “parasita” inserida na cabeça (“autosita”) do gémeo desenvolvido.

No ponto de vista médic

o, as causas desses casos de Teratologia em gémeos, na situação de “Craniopagus parasiticus” o que surge como hipotese de ocorrer é da perfusão sanguínea a um dos gémeos unidos, e foi observado através da detecção de Hipolasia (desenvolvimento incompleto) das artérias umbilicais...enfim, faltando sangue para o incremento embrionário de um dos fetos, este ficará incompleto, daí a anomalia da teratologia...

Espiritualmente ‘um corpo apenas” não pode acolher “mais que um Espírito, além disso, não está demonstrado, cientificamente, que gémeas siamesas “necessitem uma da outra para viver”... no caso, específico, de Maria Luana e Maria Luisa., a gêmea “anopluro” é que precisava da outra para viver e a outra (“autosita”) em nada necessita do “anopluro” para viver e sobreviver... Haveria, então, dois Espíritos? A resposta, neste caso específi

co de craniopagus parasiticus, é bem mais difícil do que em outros casos de gémeos siameses...

O que determina, essencialmente, a presença do Espírito num corpo fisico, é o Princípio Inteligente, porque “um corpo pode viver sem inteligência, mas a mesma apenas se faz presente com o apoio da materia “união com o espírito”, pois ela “fornece a vitalidade inteletual à matéria animalizada” ,

L.E. Item 67. A vitalidade é um atributo permanente do agente vital, ou somente se desenvolve com o funcionamento dos órgãos?

— Só se desenvolve

com o corpo. Não dissemos que esse agente, sem a matéria, não é vida? É necessária a união de ambos para produzir a vida.

L.E. Item 71. A inteligência é um atributo do princípio vital?

— Não; pois as plantas vivem e não pensam, não tendo mais do que vida orgânica. A inteligência e a matéria são independentes, pois um corpo pode viver sem inteligência, mas a inteligência não pode manifestar-se senão por meio dos órgãos materiais: somente a união com o espírito dá inteligência à matéria animalizada.

A inteligência é uma faculdade especial, própria de certas classes de seres orgânicos, aos quais dá, com o pensamento de sua individualidade, assim como os meios de estabelecer, a vontade de agir, a consciência de sua existência e relações com o mundo exterior e de prover às suas necessidades.

Podemos fazer a seguinte distinção:

1º) os seres inanimados, formados somente de matéria, sem vitalidade nem inteligência: são os corpos brutos;

2º) os seres animados não-pensantes, formados de matéria e dotados de vitalidade, mas desprovidos de inteligência;

3º) os seres animados pensantes, formados de matéria, dotados de vitalidade e tendo ainda um princípio inteligente que lhes dá a faculdade de pensar.

Desta forma,verificamos que, no “anopluro não terá a presença da Inteligência, porém estariamos na presença de um natimorto, como diz L.E;

356-Há crianças natimortas que não foram destinadas à encarnação de um Espírito?

— Sim, há as que jamais tiveram um Espírito destinado aos seus corpos: nada devia cumprir-se nelas. É somente pelos pais que essa criança nasce.

356-a. Um ser dessa natureza pode chegar ao tempo normal de nascimento?

— Sim, algumas vezes, mas então não vive.

No contexto de afinidade , visto não existir casualidade em nenhuma situação vivencial, no L.E., Cap.IV, Tema…Parecenças Físicas e Morais, mais concretamente nos itens: 211,212 e 213, os espíritos Superiores nos explicam que ;


- Os Espíritos simpáticos aproximam-se por analogia de sentimentos e sentem-se felizes por estar juntos.


- A semelhança entre as almas é tal, que faz com que nos pareçam em muitos casos uma só.


- Não é regra que sejam simpáticos os espíritos de gémeos. Acontece também que Espíritos maus entendem lutar juntos no palco da vida.

Existem também situações causais que ainda não estão fundadas. As hipóteses genéticas e fatores teratogénicos, como drogas, idade e nutrição materna, possíveis doenças da mãe..

Do ponto de vista reencarnatório, que razões levariam a justiça divina a permitir tais lastimavéis anomalias fisicas? Por que estes seres necessitariam permanecer jungidos biologicamente, compartilhando órgãos e funções orgânicas, o que é de mais íntimo e pessoal no espíritono corpo fisico?

Espíritos afins ou simpáticos (no caso dos siameses, a experiência poderá ser uma prova ou expiação agressiva no aspecto que ambos aceitam cumprir juntos), ou ser solução derradeira para causar a reaproximação entre espíritos muito adversos entre si.

É natural concluir serem os gémeos unidos por reencarnações expiatórias, resultantes de aversões e ódios seculares. Aqui a simbiose orgânica e mesmo a herança genética cuida de harmonizar vibrações mutuamente aversivas. Estando num "mesmo envolucro" reencarnatório e compartilhando partes do corpo físico, os espíritos hão de acordar, sob pena de perecerem ou de se mutilarem. No entanto estão subordinados a jazerem unidos, na vida corrente e na extensão da morte do corpo fisico. Outras razões possíveis seriam casos de espíritos que levaram a simbiose psíquica às últimas conseqüências, reparando agora, na carne, a patologia da função egoística ou, ainda, aqueles espíritos desprovidos de senso de limites, que invadiam patologicamente os limites e direitos naturais do próximo. Psicopatas insensíveis e destituídos de qualquer princípio ético estão incluídos nesta categoria.

Todo o espirito faz o seu destino e detem apenas o que merece, ou melhor, daquilo que se lhe oferece aquilo que necessita, este é o objetivo da reencarnação , o aperfeiçoamento espiritual,moral e inteletual.
E o veridico educacional, para a Humanidade, tem na dor, elo indispensável ao aprendizado, despertando a Consciência individual e coletiva para os valores reais do espírito, alicerçados nos princípios de ordem moral e na sabedoria que transcende a simples aquisição de conhecimentos intelectivos.

Dentro destes apêndices os Xifopagos que são aquilo que todos chamamos de gémeos siameses, no contexto espiritual.
Aqui a envolvência espiritual no importante é o papel dos Progenitores, pois não pode ser retirado, do concluio da provação, especialmente a Mãe. Logo na embriogenese em que o óvulo inicia a multiplicação, existe presença de dois Espíritos, durante a gestação permanecem unidos originando a ligação física.
O Espiritismo pela sua Ciência diz-nos que estes irmãos estão como que algemados no seu campo mental, pela sintonia e energias perniciosas que libertam , nas suas individualidades e que são recalcamentos, onde ódios, revoltas e vinganças,amores e desamores que se fazem recíprocas, mantendo uma envolvência tão nefasta que pode se prolongar por muito tempo. Daí a lei pela imposição se fazer presente pelo estágio compulsório, afim de diminuir a retracção mutua, pelo anestesiar da Justiça da Lei de causa e efeito.
Os recalcamentos são muitos, porém dessa forma se tenta restabelecer as divergências, e ao mesmo tempo revitalizar-lhes a vontade de restabelecimento, porque em qualquer projeto evolutivo a vontade de cada um tem que se fazer ao serviço, senão corre o risco de cair em areias movediças.
Neste objetivo como disse em cima os Pais não estão inocentes do processo , pois por consequência de valores e interesses com uma finalidade, terão nos hemisférios pretéritos envolvência energética nos seus campos mentais, e que terão oportunidade nesta vivência de refazer os desencontros e torná-los retoma de valores de amor, concórdia , respeito, reequilibrando suas identidades de forma a matar as cobranças, e tomar o rumo do perdão mutuo, porque de objetivo será a reconciliação e reconhecimento dos valores de amor, na mais sublime humildade, onde não hajam , réus , mas irmãos em busca da renovação moral, espiritual e intelectual.
Lembrando que nem todas as causas, nem casos são iguais, porém , não podemos retirar também dentro delas o processo obsessivo que ultrapassa as barreiras da matéria.
No âmbito terapêutico, a fluidoterapia, com prece constante, serão um tónico importante na recuperação dos intervenientes, bem como a toga da vontade , perseverançae duma fé racionada
Claro que a solução para a vida eterna passará sempre em todas as circunstâncias pelo AMOR sem condição e em humildade.


VICTOR PASSOS

Bibliografia;

Livro Dos Espíritos por Allan Kardec
Parte 2 – Capitulo ; Parecenças físicas e morais, itens; (211;212;213)
Livro Gestação Sublime Intercâmbio – Drº Ricardo di Benardi
Revista Espirita Allan Kardec- Fonte; Luis António Paiva
Texto publicado no "Jornal de Espiritismo" e oferecido por um membro da AME Porto que é responsável pelo espaço jornalístico da coluna "Medicina e Espiritualidade"

Revista Espírita Allan Kardec

Postar um comentário