terça-feira, 29 de julho de 2014

Não ao Aborto ………. Dolorosa PERDA


Amigos este é mais um caso que aconteceu e foi vistos dos dois lados da vida e o grande trabalho que foi feito pelos benfeitores espirituais preparados para estes casos de Aborto e como com toda a sua ajuda …. Apenas resultou em mais uma dolorosa perda e com trágicas e funestas coisas e como todos tentaram ajudar ao pedido daquela mãe já desencarnada a pedir ajuda para a sua filha…….
Dentro da noite escutamos um coração aflito de uma mãe que chamava uma entidade espiritual…. Calderaro…… Calderaro clamava aquela mãe ansiosa….. ampara a minha filha, a minha desventurada filha, …. Já perdeu a sua oportunidade, perguntou Calderaro….. ainda não …. Respondeu a mãe …… mas está á beira do desastre…… Calderaro prometeu correr o mais depressa possível para ajudar a doente .
Então estando interessado no tema o assistente fez um sumária, trata –se de um lamentável caso na qual figuram a leviandade e o ódio como elementos perversos, ou seja a mãe se despediu da filha que deixou na crosta terreste há oito anos, e foi criada com muitos mimos excessivos a jovem desenvolveu – se na ignorância do trabalho e da responsabilidade, mas pertencia a notável quadro social, filha única, entregue desde há muito ao capricho pernicioso quando logo se achou sem assistência materna no plano carnal, dominou governantas, subornou criadas, não acatou os conselhos paternos e cercada de facilidades materiais aos vinte anos  precipitou – se nos desvarios da vida mundana.
Assim desprotegida pelas circunstâncias, não se preparou convenientemente para enfrentar os problemas da vida e seu próprio resgate.
Sem a proteção espiritual que é própria da pobreza, sem os abençoados estímulos dos obstáculos materiais e tendo contra as  necessidades intimas, a grande beleza transitória do rosto para enfrentar as dificuldades dos seus resgates a pobrezinha renasceu, seguida de perto, não por um inimigo propriamente dito mas por um cúmplice de faltas graves desde  há muito desencarnado ao qual ficara vinculado por tremendos laços de ódio num passado próximo.
Foi assim que abusando da liberdade, sempre na ociosidade reprovável adquiriu deveres de maternidade sem a custódia do casamento, e reconhecendo desde já que tinha esta situação há cinco anos e sendo solteira e rica enaltecida pelo nome da família dá conta da sua situação deplorável tarde demais os compromissos assumidos e tudo faz para se desenvencilhar do seu filho, que é o mesmo comparsa do passado que acima referi, esse infeliz  que por acréscimo divino na sua misericórdia busca entretanto aproveitar o erro da companheira para a realização de algum serviço redentor com supervisão dos nossos Mentores Maiores.
Ante o espanto que rapidamente me assaltar, sabendo eu que a reencarnação constitui sempre um beneficio que se concretiza e com ajuda superior fui tranquilizado pelo assistente.
Deus é Pai amoroso e sábio que sempre nos converte as nossas próprias faltas em remédios amargos que nos vão curar e fortalecer, e foi assim Cecília a demente que vamos visitar dentro de momentos recolheu da sua leviandade o extremo recurso capaz de a ligar novamente á vida, entretanto a infortunada criatura reage ferozmente ao socorro divino, com uma conduta lastimável e perversa, embora os pedidos da sua mãe sejam comoventes junto aos  amigos superiores.
Os laços entre a mãe e a filha são construídos de amargura e ódio, resultando energias negativas que geram desequilíbrios que mais tarde o espirito feminino há – de recolher no santuário da renuncia e da esperança onde se pretende a vitória, para isso  é importante nivelar caminhos salvadores e aperfeiçoar sentimentos que o Senhor Supremo criou o tépido e veludoso ninho do amor materno, mas quando a mulher se revolta contra isso é difícil e impossível realizar , então fica condenada a esse desejo.
A infortunada criatura dando asas ao condenável desejo, buscou proteção de médicos que também protegidos do nosso plano se recusaram a tal feito que foi negar o desejo do criminoso ato …que era o Aborto.
Então valendo – se de drogas venenosas das quais vem abusando intensamente, sendo portanto a sua situação muito lastimável.
Então findo este preambulo Calderaro continuou, as vamos ajudar não temos um minuto  a perder, decorridos alguns instantes entravamos no aposento confortável e perfumado, deitada no leito uma jovem mulher se debatia em convulsões atrozes, a seu lado estava a entidade materna que era a sua mãe invisível aos olhos humanos e uma enfermeira terrestre, dessas que tem visto muitas situações e presenciar catástrofes biológicas e dramas morais a tornam menos sensível a dor humana, entretanto a genitora se adiantou e nos disse, a situação é muito grave, ajudem –na por piedade, pois aqui a minha presença se limita a impedir o acesso a elementos perturbadores que a perseguem implacáveis numa ronda sinistra.
O quadro era horrível de se ver, buscando sintonizar – me com a enfermeira ouvia afirmações cruéis no campo do pensamento, Odeio …. Odeio este filho intruso que não pedi na vida … expulsarei…  vou o expulsar….. a mente do filhinho no processo de reencarnar como era violentado num sono brando chorava suplicando …. Poupa- me poupa – me quero acordar no meu trabalho…. Quero viver e reajustar o destino ….. ajuda -  me quero resgatar a minha divida ….. vou pagar –te com Amor…. Não me expulses por caridade.
A mãe pelo contrário dizia ..nunca …nunca amaldiçoado sejas… prefiro morrer a receber – te nos braços ….. envenenas a vida ….. perturba – mas a estrada… detesto – te …  vais morrer.
Temos que entender que todo este dialogo é mental entre a mãe e o filho.
Nesse instante Cecília dirigiu -se á enfermeira com decisão….. estou cansada Liana muito cansada, mas exijo a intervenção esta noite….. mas assim nesse estado diz a enfermeira…… Sim diz a Cecília inquieta não quero adiar mais essa intervenção…… Os médicos negam-se a fazer mas conto com a tua dedicação, meu pai não pode saber nada e Eu odeio esta situação que determino que não vou conservar mais.
Calderaro colocou a destra sob a fronte da enfermeira no intuito evidente de transmitir alguma providência conciliatória para o caso.
A enfermeira disse: vamos ter algum repouso, vais modificar esse plano….  Não disse a imprevidente e futura mãe com mau humor ….. minha resolução está tomada é inadiável exijo a intervenção medica e ainda esta noite, mal grado seu ainda sorveu um cálice de sedativo que lhe foi dado atendendo á influência indireta de Calderaro.
Consumara – se a medida que o instrutor desejava, parcialmente desligado do corpo físico em compulsória modorra, pela atuação do calmante, Calderaro aplicou – lhe fluidos magnéticos sob o disco foto sensível do aparelho visual e Cecília passou a ver – nos, embora imperfeitamente detendo – se admirada na contemplação de sua Mãe… sua mãe avançou e abraçou se a ela ansiosa dizendo: Filha querida, venho até a ti para que não avances nesse plano e sinistra aventura que estás a planear, reconsidera a atitude mental e reconcilia – te com a vida, recebe as minhas lágrimas como um apelo do coração, por piedade escuta- me, não te precipites nas trevas quando a mão divina te abre as portas da luz, nunca é tarde para recomeçar Cecília e Deus na sua infinita bondade transforma as nossas faltas em redes de salvação.
Cecília ouvia mas com a mente desvairada recordou as convenções sociais de modo muito vago como tivesse  vivido um minuto de pesadelo,….. a palavra da mãe porém continuou ….socorre – te da consciência antes de tudo ….. o preconceito é respeitável, a sociedade tem os seus princípios justos, mas entretanto e muitas vezes filhinha surge um momento na esfera do destino e da dor, em que devemos permanecer com Deus e só com Deus…… não percas a coragem, a fé ….. a maternidade iluminada pelo Amor e pelo Sacrifício é feliz em qualquer parte, ainda mesmo quando o mundo ignorando a causa das nossas quedas, nos nega os recursos á reabilitação, levando – nos á reincidência e ao desespero…..
Pois por agora defrontarás com o tormenta das lágrimas o temporal de incompreensão  e da intolerância vergastará o teu rosto ….. contudo a bonança voltará ….. o caminho é cheio de pedras e árido o com muitos espinhos…. Mas terás junto do teu coração um filhinho amoroso que te vai indicar o futuro.
Então na verdade Cecília deves erguer o teu ninho de felicidade na árvore do equilíbrio glorificando na paz a realização de cada dia e a bênção de cada noite no entanto não pudeste esperar…… cedeste aos golpes inferiores da paixão, abandonaste o ideal aos primeiros impulsos do desejo….. ao contrário de construíres  na tranquilidade e confiança dentro de bases seguras….. não foi assim elegeste o caminho perigoso da precipitação….. agora minha filha é importante evitar o desespero, o despenhadeiro fatal, contornar a voragem traiçoeira, agarrando- te ao salva vidas do Amor Supremo Dever …. Volta então minha filha á serenidade do principio e resigna. Te perante o novo aspeto que deste ao teu novo roteiro  aceitando o ministério da maternidade dolorosa com o sacrifício de muitas e encantadoras aspirações.
É muitas vezes no silencio da obscuridade da proscrição social é que muitas vezes nos conhecemos, o desprezo público coloca os mais fracos no esquecimento de si mesmo, mas eles erguem para Deus que os sustenta na caminhada anónima das obrigações humildes, levando -  os até á montanha da redenção.
Por vezes é provável que teu pai te amaldiçoe, que teus entes queridos te desprezem e tentam aviltar tudo o que fazes, mas é nesse martírio que te enobrece que vais resgatar os teus débitos com muita serenidade.
Olha Cecília não será melhor uma coroa de espinhos na fronte do que um monte de brasas na tua consciência, ……. o mal pode perder- nos e transviar- nos………  mas o bem sempre retifica, além disso se é certo que o padecimento da vergonha vai ferir a tua sensibilidade,…… mas acredita que a glória da Maternidade vai ser uma Luz no teu caminho.
A enferma Cecília escutava mentalmente,. Mas com indiferença as palavras da mãe, disposta a não capitular, recebia todo os  recursos ao seu alcance, mas após um intervalo a mãe de Cecília continuou… Ouve Cecília não fique nessa atitude impassível , não isoles o cérebro do coração para que o teu raciocínio com o sentimento para venceras esta prova tão  áspera, não te detenhas nas primazias da forma física, nem suponhas que a beleza espiritual erga o seu templo no corpo da carne em transito para a morte, a morte virá de qualquer forma trazendo a realidade que confunde a ilusão, não persistas no véu da mentira, humilha- te na renúncia construtiva, toma a tua cruz e segue para a compreensão mais alta.
Foi então que Cecília com grande assombro reagiu mentalmente…… Como não me disseste tudo isso antes, na terra sempre satisfizestes os meus desejos, nunca me permitiste o trabalho, favoreceste-me o ócio, sempre me fizeste crer numa posição mais elevada do que as outras criaturas, incutiste –me que todos os privilégios especiais me eram, prestados, enfim, não me prepares- te, estou sozinha com um problema….. não tenho coragem de me humilhar,….. pedir serviço remunerado não foi o ideal que me deste, … enfrentar a vergonha e a miséria para mim é pior que morrer…. Não e Não…  não desisto, nem mesmo á tua voz que a despeito de tudo anda amo…… É impossível retroceder,,,,,,,
A senhora chorou com mais amargura, agarrou – se á filha e com mais força lhe pediu suplicando,..Perdoa –me pelo mal que fiz pois queria – te muito …..  Ó filha querida nem sempre o amor humano avança vigilante….. por vezes a cegueira nos chama a erros clamorosos que só o golpe da morte no geral expulsa….. Não consideras a minha dor….. Reconheço a minha participação indireta no teu presente infortúnio …. Mas entendendo agora a delicadeza dos deveres maternais, não desejo que venhas a colher espinhos no mesmo lugar onde venho sofrendo os resultados amargos da minha falta de cuidado….. porque tenha errado por excessos de ternura ….. não te desvies do amor e deixa o ódio ………
Depois do sepulcro o dia do bem é mais luminoso …..  e a noite do mal é muito mais densa e tormentosa ….. Aceita a humilhação  como bênção …. A dor  é uma preciosa oportunidade …. Todas as lutas terrenas chegam e passam pois ainda que perdurem no tempo …. Não se eternizam  …. Não compliques pois o destino……. Eu submeto – me ás tuas exprobrações …….  Mereço-as quem como eu esqueceu a floresta  das realizações para eternidade, retendo –me voluntariamente no jardim dos caprichos ….. Amemos onde as flores não se ostentam mais do que um fugaz minuto…
Minha Filha Cecília esqueci – me da enxada do benfazejo do esforço próprio com o qual devia preparar o solo da nossa vida semeando dádivas do trabalho edificante… e minha filha ainda não chorei o suficiente para me redimir de tão lastimável erro ….. todavia confio em ti minha filha, esperando que não te aconteça o mesmo que a mim na áspera trilha da regeneração……. Antes mendigar o pão de cada dia … receber as amarguras da maldade humana aí na terra…. Do que desprezar o pão das oportunidades que Deus permitindo que essa crueldade avassale o coração…… O Sofrimento dos Vencidos no Combate Humano é o Celeiro da Luz da Experiência para esses uma grande era de paz vai fulgir no horizonte porque a realidade não os surpreenderá quando o frio do túmulo lhes assopra o coração ….. A Verdade lhes faz Amiga Generosa e a compreensão terão companheiras fieis….. Retorna minha filha a ti mesma ….. mantém a coragem malgrado as nuvens ameaçadoras que te pairam na mente sem destino …. Ainda tens tempo … Ainda tens tempo….
Vejam que depois destas palavras e entidade materna chorava copiosamente…. Mas a sua filha Cecília perturbada por emissões mentais negativas falou á enfermeira reclamando ….
Cecília enferma ainda fez supremo esforço para vir ao invólucro da carne… dizendo ríspidas palavras de negar tudo e inopinadas  e ingratas…. Não posso ….Não posso mais ….. Não suporto …. A intervenção tem de ser agora…. Não posso perder nem mais um minuto, e fixando a companheira por alguns instantes com terrífica expressão exclamou……. Tive um pesadelo horrível …… sonhei com minha mãe voltava da morte e me pedia paciência e caridade………  Não ……. Não ….. irei até ao fim  ….. prefiro o suicídio afinal …..
Penosamente surpreendido verifiquei com espanto que o embrião reagia ao ser violentado, como se aderindo desesperadamente ás paredes placentárias….. a mento do filho imaturo começou a despertar quando aumentava o esforço da extração…… os raios escuros não partiam agora só do encéfalo materno , mas também pelo Embrião estabelecendo maior desarmonia …… depois de longo e laborioso trabalho o feto foi retirado.
Assombrado reparei que a ginecologista improvisada tinha retirado apenas  uma porção de carne ……. Porque a entidade que vinha reencarnar como ainda se mantivesse unida á mãe por forças vigorosas oferecia condições fortes no campo celular  da mãe que o tinha expulsado……
Então estava - mos perante duas feras terríveis presas uma á outra ….. o filho não chegara a nascer tornara – se num perigoso verdugo da mãe, e premindo com  impulsos involuntários  no útero da mãe precisamente onde se efetua a  permuta dos sangues o filho rejeitado provocou um processo hemorrágico violento a abundante que a  levou á morte.
Ainda a Cecília dizia na sua agonia de forma cruel ….. Odeio – o  Odeio – o  sentindo a presença do filho ainda no seu ventre materno  …. Nunca embalarei um intruso que lhe lançava a vergonha……. Ambos agora mãe e filho estavam sintonizados numa onda de ódio, porque o filho respondia no auge da sua ira ….. Vingarei….. Pagarás tudo até ao final ….. Não me deixas-te retornar á vida terrena onde teria luta precisa que nos seria comum, e nos ensinaria a desculpar- te pelo passado de delitos e esquecer as minhas mágoas …. Renegas-te a prova que nos ia levar ao altar da reconciliação …. Fechas – te as portas da oportunidade redentora….. entretanto  o maléfico poder que impera sobre ti digo – te habita também na minha alma … Trouxeste á tona da minha razão toda a perversidade que dormia dentro de mim……. Condenaste –me á morte e então a minha sentença vai ser a mesmo … Morrerás ….Não me deste descanso para fazer o serviço que tinha de fazer na Terra…. Não me quiseste ao serviço do amor …. Portanto serás novamente minha para satisfazer o meu ódio…. Vou me vingar ….. Vou levar –te comigo…… Os raios destruidores se cruzavam formando um quadro horrível de Espirito a Espirito….
Assim aconteceu e se consumou para ambos este doloroso processo de obsessão entre os dois com graves consequências no espaço e no tempo cuja extensão não se pode prever.


 Manuel Altino
Postar um comentário