quinta-feira, 6 de maio de 2010

O PRINCÍPIO ESPIRITUAL





E existência do Princípio espiritual é um fato que da mesma forma do que o Princípio Material, não precisam de demonstração, pois ambos são um axioma (se explicam pelos seus efeitos), se todo efeito tem uma causa, todo efeito inteligente tem uma causa inteligente.
Ninguém pode confundir o movimento mecânico de um sino que o vento move, com o movimento provocado quando este tem que dar algum sinal, embora em ambos os casos ele serviu de instrumento para que se manifestasse uma causa, em nenhum momento houve a vontade própria do sino. O homem quando encarnado, pensa e há nele algo de diferente do sino, pois a inteligência que move o sino está fora dele e no homem encarnado, esta inteligência faz parte do seu ser e o impulsiona a caminhar e evoluir.
Sendo a Matéria o instrumento de trabalho do Espírito para o seu desenvolvimento, é necessário que ele atue sobre ela e esta tem que ser ao mesmo tempo, objeto e instrumento de trabalho e à medida que ele adquire novas aptidões, a medida que ele soma novos conhecimentos evolutivos é revestido de invólucro mais apropriado para a sua nova condição.
(L.M.)Se compreendemos bem, o princípio vital reside no fluido universal; o Espírito tira do Fluido Universal o envoltório semi-material que constitui o seu perispírito e é ainda por, meio deste fluido que ele atua sobre a matéria inerte; ele empresta à matéria uma espécie de vida factícia; a matéria se anima da vida animal. A mesa, que se move debaixo das vossas mãos, vive como animal; quando a mesa se eleva, não é o Espírito quem a levanta, com o esforço do seu braço: é a própria mesa que, animada, obedece à impulsão que lhe dá o Espírito."

Voltando ao motivo de nossa apresentação, temos que o Espiritismo é uma ciência que tem como finalidade a demonstração experimental da existência da alma e sua imortalidade, através da comunicações com aqueles erroneamente denominados de mortos, pois na verdade estes estão interagindo e evoluindo em uma outra dimensão que não podemos compreender .
No passado, grandes mentes dedicaram anos de estudos e experimentos para certificar os fatos e acontecimentos que deram a base desta doutrina, e foram unânimes em afirmar a autenticidade dos fenômenos que pareciam produto da superstição e do fanatismo. Na França, o desconhecimento da realidade dessas pesquisas, aos olhos do grande público, o Espiritismo não passava de farsa de mesas girantes, mas com o passar do tempo o que era mera especulação e objeto de deboche passou a desempenhar o seu papel, e essa doutrina apresenta hoje ao experimentador imparcial uma série de experiências rigorosas, metodicamente conduzidas, que provam, com segurança, a sobrevivência do eu humano à desagregação corporal.
Postar um comentário